sexta-feira, 15 de julho de 2016

O passatempo dos doentes mentais

Eu gosto de ver
Seu sorriso 
De manhã 
E me sinto 
Um deus 
Quando estou escrevendo
Talvez você diga
Que eu sou radical
Mas ninguém pode deter
As ondas do mar
Eu sonhei
Com uma mulher
De cabelos loiros
Ela me disse
Que gostava
Do que via
Apesar de ela
Não estar olhando para mim
Acho que isso
É algo legal de se dizer
Às vezes
Eu acho que estou ficando louco
E até acho normais
As imagens
Na televisão
Talvez
Se eu disser
Que já li um livro
Seja bom
Talvez
Eu seja mesmo
Um doente mental
Quando saio na rua
Todos me olham estranho
E alguém vai dizer
Que isso é paranoia
Na verdade
As ruas
Não são
Para
As pessoas normais
Na verdade
Pensar
É o passatempo
Dos doentes mentais


Juljan
Escrita lá pelo final dos 1990.
A lua e a água gelada ainda comovem, Carlos. Gauchemo-nos, camarada.

3 comentários:

Zélia disse...

Amo você pelo tamanho do seu coração. Você (se) importa demais e isso tem valor imenso. Acordar ao seu lado é tudo de bom! :)

Zélia disse...

Amo você pelo tamanho do seu coração. Você (se) importa demais e isso tem valor imenso. Acordar ao seu lado é tudo de bom! :)

caio batista disse...

Grande juljan